O Discurso do Rei: grande vencedor do Oscar 2011

Como pode um simples discurso tornar-se um filme cativante, e mais, entrar para história como um dos grandes vencedores do Oscar? Só assistindo para entender mesmo. No cinema ou em vídeo, pessoas de todas as idades foram conhecer a história do George VI, pai da atual Rainha Elizabeth, da Inglaterra.

Gago desde pequeno, o grande pesadelo de George, interpretado por Colin Firth (A Última Legião e Mamma Mia!) que levou a estatueta de Melhor Ator com essa atuação, é ter que enfrentar discursos públicos, pois seu nervosismo agrava ainda mais seu problema da fala. Depois de diversas tentativas das mais diferentes terapias médicas, sua esposa Elizabeth (Helena Bonham Carter, de A Bola da Vez e Alice no País das Maravilhas) conhece Lionel Logue (Geoffrey Rush, de Piratas do Caribe e Lantana) com a fama de técnicas pouco ortodoxas.

A história se desenrola num descobrimento de laços maiores que envolvem Lionel e George, enquanto o terapeuta busca as respostas mais íntimas para que seu paciente consiga superar traumas em seu subconsciente e poder tornar-se o grande rei que sempre negou-se ser capaz.

Uma lição de vida baseada na história real de um rei com extrema dedicação ao seu reino, mas que não conseguia segurança para transmitir ao seu povo sua palavra, e que a dedicação de um grande amigo tornou possível que descobrisse em si mesmo a coragem que jamais acreditou ter e que serviu de inspiração para uma grande nação.

O Discurso do Rei (The King’s Speech-2010) é dirigido por Tom Hooper (Sombras do Passado) e arrematou 4 Oscar®: filme, direção, ator e roteiro original.

Comente este artigo