O Caminho do Guerreiro

Uma obra de arte banhada a sangue, definição para os filmes do gênero, como Kill Bill vol. 1 e Kill Bill Vol. 2, por exemplo. Ação, cenas de batalhas sangrentas, tudo regado a uma história melancólica sobre os valores humanos e a compaixão que o maior dos assassinos enfrenta. Dong-Kun Jang (A Promessa, A Irmandade da Guerra) é o guerreiro Yang que, após derrotar todos os membros do clã inimigo, está frente a frente com o seu maior oponente e o único a impedí-lo de se tornar o maior espadachim do mundo.

Vencendo à luta, basta matar o bebê que representa o último daquele clã. Mas o sorriso da pequena guerreira toca seu coração. O ato de compaixão o torna um fugitivo, procurado pelo próprio clã como traidor. A fuga o leva à uma pequenina cidade do velho oeste, lar de um circo itinerante praticamente falido após sucessivos ataques de um bando de pistoleiros.

A cidade foi lar de seu amigo ‘Sorriso’ que imigrou há muitos anos para abrir ali uma lavanderia. Decidido a esquecer seu passado, assume o lugar de seu amigo, lacrando sua espada e evitando que ela volte a ‘chorar’ e deletar sua localização aos outros ninjas do clã. Porém, a proximidade com Lynne – Kate Bosworth (Superman O Retorno, A Onda dos Sonhos) – e a aparente paz não devem durar para sempre, pois terá que enfrentar pistoleiros usando sua espada e com o clã que o localiza. Mais banho de sangue manchará seu caminho.

Com Geoffrey Rush (Piratas do Caribe, O Discurso do Rei) – no papel do aposentado atirador Ronald –  e Danny Huston (O Fim da Escuridão, Fúria de Titãs, X-Men Origens: Wolverine) – interpretando o bandido ‘Coronel’, a produção possui uma fotografia muito interessante, quase romântica, com detalhes primorosos nas batalhas violentas.

Comente este artigo