A Origem do Planeta dos Macacos

Algumas sequências de filmes tem recebido um novo episódio contando a origem de como tudo começou. Aconteceu já há algum tempo em Indiana Jones e a Última Cruzada que revelou os porquês de algumas manias do aventureiro. Na carona vieram outros como X-Men Origens: Wolverine, X-Men Primeira Classe, Anjos da Noite e a Vingança dos Lycans, a Nova Trilogia de Star Wars, explicando a Trilogia Original, entre outros.

Chegou a vez da clássica série de filmes das décadas de 60 e 70, ‘O Planeta dos Macacos‘. No filme original de 1968, a história do astronauta George Taylor (Charlton Heston, de Os Dez Mandamentos) que chega a um planeta habitado por uma civilização de símios inteligentes se revela como sendo uma grande curva no tempo, um caminho alternativo tomado no próprio planeta Terra. Outros quatro filmes completaram a série: De Volta ao Planeta dos Macacos (1970), A Fuga do Planeta dos Macacos (1971), A Conquista do Planeta dos Macacos (1972) e A Batalha do Planeta dos Macacos (1973). Um remake do primeiro filme foi realizado em 2001 pelo diretor Tim Burton, com Mark Wahlberg (de Max Payne e Os Outros Caras) no papel do humano Leo Davidson.

Em 2011 foi a vez de contar como toda essa história começou. Em O Planeta dos Macacos: A Origem, o cientista Will Rodman (James Franco, de Flyboys, 127 Horas e Annapolis) estuda um novo vírus capaz de estimular o cérebro a reconstruir as células nervosas. Seu estudo busca o tratamento do Mal de Alzheimer, não exatamente por acaso, pois seu pai (John Lithgow, de A Qualquer Preço e Os Delírios de Consumo de Beck Boom) sofre com a doença que evolui dia-a-dia.

Depois de uma experiência que parecia bem sucedida em uma chimpanzé, o descontrole e a fuga da cobaia atacando a reunião onde Will apresentava os resultados para garantir a liberação para prosseguir com o projeto, jogaram toda a pesquisa de volta à estaca zero. Mas, um pequeno filhote da cobaia é encontrado e para evitar que seja sacrificado como o restando do grupo, Will o leva para casa. Seu pai, mesmo doente, prontamente se afeiçoa ao novo animal e traços de inteligência despertam em Will a motivação de mantê-lo em casa para prosseguir com a pesquisa, sem saber o que o destino reservaria para ele e seu novo companheiro, Caesar (Andy Serkis, de Alex Rider Contra o Tempo e King Kong).

Comente este artigo