Capitães da Areia

Na adaptação do renomado livro de Jorge Amado, Capitães da Areia chega as telonas sobre a batuta de sua neta Cecília Amado, estreando na direção, mostrando uma fidelidade muito interessante à obra literária homônima.

 

História conhecida pelos estudantes principalmente no ensino médio, Capitães da Areia é um grupo de meninos de rua na Salvador da década de 50, que vivem de pequenos furtos e roubos, conhecedores da malandragem. Apesar disso, são como uma grande família, acolhendo todos como irmãos, sobre um teto de uma casa abandonada à beira mar, onde ouvem as histórias do Professor – Robério Lima – antes de dormir, e seguros sobre a liderança de Pedro Bala – Jean Luis Amorim.

Praticantes e bons lutadores de capoeira, aprenderam com o mestre Querido de Deus – Marinho Gonçalves – a arte de se defenderem, além da crença no candomblé de Don’Aninha, mãe de santo do terreiro da Cruz de Opô Afonjáe.

 

 

 

 

 

Naquele tempo, a praga da doença que chama ‘bichiga’ assola a cidade. Um dos meninos doentes sofre a indiferença de ‘Sem Pernas’ – Israel Gouvêa – que briga para baní-lo e evitar que a doença se espalhe.

Mas Pedro Bala decide pedir ajuda a Querido de Deus para levá-lo de volta a casa de sua mãe. Essa mesma doença leva a mãe de Dora – Ana Graciela – e Zé Fuinha – Felipe Duarte – deixando-os órfãos. Ambos acabam ficando na rua, onde encontram Professor, que ao contrário das regras, leva os irmãos Dora e Zé Fuinha para junto do bando, a contra gosto dos demais.

Outros personagens marcantes do bando são: Gato (Paulo Abade), Boa Vida (Jordan Mateus), Volta Seca (Heder Novaes), João Grande (Elielson Conceição) e Ezequiel (Edelvan de Jesus). Numa fotografia primorosa, a história seguirá com as aventuras dos Capitães da Areia e Dora, enfrentando as dificuldades e alimentando, apesar da pobreza, miséria e criminalidade que vivem, a compaixão e união dos meninos como irmãos.

Comente este artigo