A Dama de Ferro

A história da primeira mulher a chegar ao topo do poder na Inglaterra, como Primeira Ministra, é contada em a Dama de Ferro (The Iron Lady-2011). E no papel de Margaret Tatcher está Meryl Streep (de O Diabo Veste Prada e Mamma Mia!) que, inclusive, lhe rendeu o terceiro Oscar® na carreira. Margaret está idosa e vive sob cuidados. Entre as conversas com Denis (Jim Broadbent, de A Jovem Rainha Vitória e Moulain Rouge: Amor em Vermelho) se misturam aos flashes de sua juventude e de como cresceu na vida política.

 

Margaret Roberts ajudava os pais no comércio da família, era estudiosa e interessada nos discursos políticos do pai que foi prefeito da cidade onde moravam. Seu sonho de se tornar alguém que fizesse a diferença fez com que enfrentasse o mundo machista inglês da década de 1.970 em plena guerra fria em busca de um lugar no parlamento. Contra os costumes da época, fazia questão de participar de discussões políticas com os homens e não simplesmente se retirar para a cozinha com as outras mulheres.

 

Seu papel conservador e decidido, com total comprometimento ao poder público, atraiu Denis, seu colega de faculade, que a pede em casamento sob a condição imposta por Margaret de que a deixasse livre para seu comprisso com a política e a carreira. Assim assume o nome de casada e como ficou mundialmente famosa, Margaret Tatcher, mais tarde apelidade pelos soviéticos de ‘A Dama de Ferro’.

 

Um trabalho impressionante visto pela ótica das lembranças meio senis da personagem histórica, mostram os bastidores da alta cúpula do poder britânico, os conflitos gerados por seu pulso firme e conservador, cheio de altos e baixos, com a marcante interpretação de Meryl Streep sob a batuta da diretora Phyllida Lloyd, mais conhecida pela direção em espetáculos de ópera e que já havia trabalhado com a atriz principal em Mamma Mia!

Comente este artigo