As Mulheres do 6º Andar

Com muita leveza e bom humor, essa obra do cinema francês fala sobre o relacionamento de dois mundos completamente diferentes na Paris do início da década de 1.960, entre patrões e empregadas domésticas. Jean-Louis Joubert (Fabrice Luchini, de As Aventuras de Moliére) é um empresário, herdeiro de uma empresa financeira que mora num prédio antigo de Paris, desde que nasceu. É casado com Suzanne (Sandrine Kiberlain, de O Buquê e O Apartamento), que agora decidiu por jogar fora as coisas da mãe de Joubert, falecida há mais de seis meses.

 

Isso deixa a empregada revoltada, tanto que depois de mais de 20 anos com a família se demite. Suzanne tem que arranjar uma nova empregada e, escutando as amigas aristocratas, contrata uma espanhola. As espanholas estão migrando para França fugindo da guerra civil e em busca de trabalho como empregadas domésticas. Maria Gonzalez (Natalia Verbeke, de Jogo de Sedução e O Outro Lado da Cama) é uma delas e vai parar no prédio da família Joubert para morar junto com a tia, num dos quartinhos do sexto andar.

Contratada pelos Joubert, ela conquista a confiança do casal através do serviço caprichoso e de sua dedicação, sempre de bom humor. Aliás, é esse bom humor de Maria e das outras empregadas espanholas do sexto andar que chamam a atenção de Jean-Louis. Sempre alienado aos assuntos dos empregados, acaba descobrindo a alegria das espanholas apesar da simplicidade e das precárias condições de moradia delas.

Jean-Louis torna-se amigo delas, se envolvendo com seus problemas, auxiliando-as em suas dificuldades, o que para elas são grandes conquistas. Enquanto busca um novo sentido para sua vida, a alegria das mulheres do sexto andar envolve cada vez mais Jean-Louis, em especial através de Maria.

Comente este artigo