ID:A – Identidade Anônima

Ida (Tuva Novotny) acorda num rio sem saber como foi parar ali. Aliás, ela não se lembra de absolutamente nada: quem é, de onde veio e onde está. Desnorteada, ele recolhe uma bolsa que está próxima a ela e segue pela estrada até uma pequena cidade. Ela se hospeda com o nome de Aliena num pequeno hotel pertencente a Pierre (Arnaud Binard) que lhe oferece um quarto, apesar da desconfiança de sua funcionária. Após uma noite de sono, Aliena descobre que a sacola que carregava está repleta de dinheiro, o que a deixa ainda mais confusa.

Mais tarde, percebe que a pessoas à sua procura e, assustada, resolve fugir. Com a ajuda de Pierre, percebe que seu sotaque acusa não ser francesa, mas sim, dinamarquesa. Partindo para seu suposto país, ele houve uma voz que lhe parece muito familiar: a do cantor Just Ore (Flemming Enevold), um famoso tenor. Ela decide assistir um de seu shows e, para seu completo espanto, ela é reconhecida.

 

A partir de então, Aliena, ou melhor Ida Ore, terá que juntar as peças desse incrível quebra-cabeças e descobrir por que ela foi parar em um rio na França, com uma sacola cheia de dinheiro e sem qualquer lembrança do que aconteceu. Pior do que isso, ela continua sendo perseguida e conforme as recordações de sua vida voltam à toda percebe que grandes perigos a rodam e a ameaça pode vir de qualquer lugar, principalmente quando parte ao encontro de seu irmão Martin (Carsten Bjørnlund).

Uma produção dinamarquesa dirigida por Christian E. Christiansen (Colega de Quarto), ‘Identidade Anônima‘ (ID:A-2011) é um thriler cheio de surpresas e reviravoltas, com ação na medida certa, revelando a natureza de uma mulher completamente transformada pela sua falta de memória.

Comente este artigo