Capitão Phillips

Os mares que banham a costa da Somália são infestados de piratas, mesmo nos dias de hoje. E esse trecho do Oceano Índico é a mais recente rota do Capitão Phillips (Tom Hanks, de Jogos do Poder e A Viagem) que tem como objetivo levar seu navio carregado, principalmente de suprimentos, até alguns países africanos. Sua tripulação é nova para ele, e com a ajuda do Contra-mestre Shane Murphy (Michael Chernus, de O Legado Bourne e Em Busca da Fé) irá repassar tudo que é necessário para que cheguem em seu destino em segurança.

CapitaoPhillips-01 CapitaoPhillips-03

Com alguns anos de experiência, Phillips sabe que a investida de piratas pode ser muito mais séria do que perder sua carga. Por isso, resolve treinar a tripulação para uma eventual abordagem, já que constantes avisos foram emitidos na área, inclusive recebidos em seu email. Não há armamento a bordo, por isso é preciso que o sistema de mangueiras seja bem manuseado, transformando-se num sistema de defesa para evitar que pequenas embarcações alcancem o  navio.

CapitaoPhillips-04 CapitaoPhillips-04

No meio do treinamento eles percebem duas lanchas que se aproximam velozmente, no meio do mar aberto. Com toda sua experiência, Phillips vai manobrar seu navio e orientar sua tripulação na defesa. Mas quatro somalianos, liderados por Muse (Barkhad Abdi) conseguem subir a bordo. Resta agora ao Capitão tentar negociar para que eles deixem o navio com o pouco dinheiro que há disponível no cofre deixando a tripulação em segurança. Quando tudo parece que vai terminar bem, Phillips é feito refém dos piratas e, a bordo de uma pequena baleeira, eles tentam alcançar à costa da Somália, enquanto a Marinha Americana se prepara para colocar um fim nesse impasse, custe o que custar.

CapitaoPhillips-05 CapitaoPhillips-06

Baseado em fatos reais, ‘Capitão Phillips’ (Captain Phillips-2013) é dirigido por Paul Greengrass (Zona Verde, A Supremacia Bourne e O Ultimato Bourne), numa co-produção entre Estados Unidos e Somália, retratando a dura rotina de marinheiros e seus capitães correndo riscos extremos na navegação comercial nos mares próximos ao continente africano, onde a pirataria se tornou uma das poucas opções para um povo sofrido e carente que viu seus recursos naturais milenares serem reduzidos a quase nada devido à marcha do progresso de um sociedade dita ‘civilizada’.

Comente este artigo