Agnus Dei é um filme baseado em fatos reais: humanista, tocante e imprescindível

Agnus Dei traz uma história que nos coloca diante de um tema bastante atual, pelo menos em nosso país – o estupro.

O roteiro aborda de forma lúcida e sem melodramas, o esforço de uma enfermeira francesa, Mathilde, que chamada para prestar atendimento à freiras polonesas em um convento, se depara com a terrível situação das religiosas que foram estupradas por soldados inimigos na Segunda Guerra.

agnus_dey_1

Algumas das freiras ficaram grávidas e outras contraíram doenças venéreas. O dilema das religiosas, entre a fé em Deus e a violência a que foram vitimadas, traz à tona os mais diversos conflitos: desde o questionamento da própria religião, até a rejeição do corpo e da maternidade inesperada. A jovem enfermeira, que não tem vínculos com crenças, será um ponto de equilíbrio nesse cenário, onde a humanidade e a compaixão precisam prevalecer sobre qualquer estigma.

agnus_dey_3

Não é um filme de guerra, mas, sim, um filme sobre os traumas deixados pela guerra. Contudo, o tema abordado é atual e polêmico, pois traz à luz à cultura do estupro como elemento de dominação do corpo da mulher, que deixa marcas que não podem ser apagadas, e não raro, as vítimas são vistas como culpadas, ou se sentem culpadas, guardando para si a agressão sofrida, como se fosse um segredo vergonhoso.

Sensível e delicado, “Agnus Dei” é ao mesmo tempo forte e emocionante.

agnus_dey_4Texto: Thaís Guimarães

IMDB 7,4  e a qualidade pode ser conferida pelo trailer:

Comente este artigo