Um coração partido, um plano idiota e dois amigos rumo à Argentina para La Vingança!

 

 

O longa conta a história de Caco (Felipe Rocha), que está planejando seu casamento com Julia (Leandra Leal), quando descobre que ela o está traindo com um chef de cozinha argentino. Indignado com o sofrimento do amigo, Vadão (Daniel Furlan) pensa na vingança perfeita: ir para a Argentina, se divertir e ficar com várias mulheres.

La Vingança já está disponível em DVD na 

 

Eis que os dois viajam no Opala 72 de Vadão, e desde que cruzam a fronteira enfrentam inúmeros problemas até chegarem ao destino, Buenos Aires. Durante a viagem, eles encontram várias outras pessoas que vão compondo lentamente a trama e, muitos deles, realçam a rivalidade entre brasileiros e argentinos, com frases sobre o melhor do futebol ou o fatídico 7×1 no jogo contra a Alemanha.

O roteiro de Thiago Dottori (Os 3), Pedro Aguilera (Copa de Elite), e dos estreantes que também dirigem o filme, Fernando Fraiha e Jiddu Pinheiro usa o formato roadmovie (uma trama que se desenvolve durante uma viagem) mas faz dele uma obra original.

O roteiro foi muito bem escrito e as piadas fluem, nos lembram essa nova temática da geração atual que rimos ao assistir um bom vídeo no youtube, o que distancia ao mesmo tempo daquela coisa velha e manjada, característica das piadas de auditórios.

O diretor Fernando Fraiha nos agracia com uma obra simplória e divertida ao ponto certo, com uma linguagem atual onde as piadas funcionam com as situações. Os movimentos de câmeras são simples e a fotografia do filme é muito bem trabalhada. A trilha sonora do filme tanto o instrumental quanto o musical é uma das maravilhas do filme, que se deve ao belo trabalho de Plinio Profeta.

Lá Vingança é um filme que mergulha na intimidade masculina e sabe ser delicado e nada ofensivo ou grosseiro, portanto, merece ser visto com carinho, afinal para que o mundo seja diferente de atos machistas como o apresentado no filme é necessário mudar o olhar e principalmente a atitude em nosso dia-a-dia, porque se não tudo acaba voltando contra nós mesmo, como bem o filme deixa de lição no seu desfecho.

Comente este artigo