Mulheres Alteradas – ressalta que fragilidade não é o mesmo que fraqueza

Mulheres Alteradas narra o cotidiano de quatro mulheres, cada uma enfrentando problemas bem particulares: Keka (Deborah Secco), Marinati (Alessandra Negrini), Leandra (Maria Casadevall) e Sônia (Monica Iozzi).

Conta as histórias das personagens em diferentes momentos da vida: uma está tentando salvar o casamento de anos; outra é solteira e não acredita no amor; a terceira é uma mãe sobrecarregada com a criação dos filhos e o marido ausente e, a última, está na faixa dos 30 anos de idade e se sente mal por não ter formado uma família.

Baseado nos quadrinhos de mesmo nome de Maitena Burundarena e dirigido por Luis Pinheiro. Ótimas participações dos atores Sérgio Guizé e Daniel Boaventura.

02 Mulheres Alteradas

Com muitas cenas rodadas apenas com uma câmera na mão que se movimenta pelo cenário. As tomadas são inventivas e instigantes. Os momentos mais urgentes são equilibrados, como o plano sequência com Sônia e Leandra no qual a cidade de São Paulo se impõe como o cenário perfeito para uma história tão agitada. O diretor aproxima a linguagem cinematográfica da linguagem dos quadrinhos de forma natural e permite escapes visuais bem realizados com o auxílio de efeitos especiais.  Ótima trilha sonora assinada por Fábio Goés (que compôs um ótimo e escapista tema romântico e produziu uma vibrante versão para “Top Top”, dos Mutantes, interpretada por Tulipa Ruiz e MC Carol).

06 Mulheres Alteradas

Mulheres Alteradas finaliza bem suas histórias, mostrando o amadurecimento de personagens que tiveram experiências novas durante a trama e conseguiram ficar em paz com as partes de suas vidas que estavam com problemas.

Nos mostra como é fácil julgar que a situação da outra é mais fácil, mas a grande verdade é que há dificuldade em todas as fases da vida: seja na solteirice da juventude, ou na criação de dois filhos pequenos. Cada momento tem seu lado positivo e negativo e é possível aprender com cada um deles. Aliado a isso, o filme também mostra como é fácil deixar de valorizar as coisas boas em meio ao cansaço do dia a dia.

Tudo isso ressaltando que fragilidade não é o mesmo que fraqueza. É possível ser uma mulher forte mesmo com todas as dúvidas e confusões do dia a dia.

Mulheres Alteradas, já está disponível para compra na ewmix

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s