Millennium – A Garota na Teia de Aranha – uma versão feminina de James Bond

O filme traz de volta a personagem Lisbeth Salander, conhecida da trilogia sueca Millennium, dos livros e filmes de muito sucesso: Os Homens Que Não Amavam As Mulheres / A Menina Que Brincava com Fogo / A Rainha do Castelo de Ar.

Esta quarta história – Millennium – A Garota na Teia de Aranha é a continuação da série, do escritor David Lagercrantz – já que Stieg Larsson (dos 3 primeiros livros) faleceu antes mesmo de fazer sucesso.

Estocolmo, Suécia. Graças às matérias escritas por Mikael Blomkvist para a revista Millennium, Lisbeth Salander (Claire Foy) ficou conhecida como uma espécie de anti-heroína que ataca homens agressores de mulheres. Apesar da fama repentina, ela se mantém distante da mídia em geral, levando uma vida às escondidas.

03 millenium - a garota na teia de aranha

Um dia, Lisbeth é contratada por Balder para recuperar um programa de computador chamado Firefall, que dá ao usuário acesso a um imenso arsenal bélico. Balder criou o programa para o governo dos Estados Unidos, mas agora deseja deletá-lo por considerá-lo perigoso demais. Lisbeth aceita a tarefa e consegue roubá-lo da Agência de Segurança Nacional, mas não esperava que um outro grupo, os Aranhas, também estivesse interessado nele.

Ed Needham (Lakeith Stanfield) da NSA rastreia Lisbeth assim que as forças de segurança suecas colocam Balder e seu filho, August (Christopher Convery), em uma casa segura enquanto tentam resgatar o Firefall.

Quando a irmã distante de Lisbeth, Camilla (Sylvia Hoeks), juntamente com um sindicato internacional do crime se envolvem, faz com aumente a tensão deste trailer de ação de gato e rato.

02 Millenium - A Garota na Teia de Aranha.jpg

Millennium – A Garota na Teia de Aranha faz uma esperta e inteligente tentativa de atrair um público maior, em um momento de maior visibilidade feminina no gênero de ação. É uma peça de entretenimento elegante e eficiente, nos apresenta uma protagonista chutando e atirando em tudo em seu caminho – nos lembrando uma versão feminina de James Bond.

A Salander do filme é uma super-heroína, fisicamente competente e letrada, através de suas habilidades de hacker. E a Salander do escritor Larsson, um puco diferente, é definida tanto por suas cicatrizes como por suas forças.

O espectador será presenteado com muita ação, e um jogo de gato e rato de tirar o folego, sem contar com a eficiente vingança de Salander aos malfeitores de mulheres…

Já disponível na ewmix

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s